Lula, o pedacinho de célula de todos nós

A propósito do post anterior, em que eu disse que Lula sempre se expressou mal:

lula pedacinho de celula
Não é invenção, está lá no Twitter da criatura. Primeiro os imóveis não eram dele, agora nem as células são…

Ecce homo.

Sem Duda Mendonça e João Santana (que agora depõe contra ele) para escrever os discursos, Lula voltou a improvisar. Esta última atingiu o nível Dilma Rousseff de desconexão de idéias, mas recentemente não faltaram outros exemplos mais dentro do padrão Lula: a vez em que ele falou que político ladrão era mais honesto que servidor concursado, que chegaria aos noventa anos e D. Marisa estaria com ele (ela fala com ele ainda, sabiam?), que o Brasil deve sua cultura à África (aquela África com a qual a Namíbia não parece?); as comparações de si mesmo a Jesus Cristo, a Tiradentes, a Nelson Mandela; e a indignação contra Sérgio Cabral ter sido preso só porque roubou.

Fiquem no aguardo, estas são as primeiras de muitas. O Lula Gênio e Mestre da Retórica é e sempre foi invenção da marketagem.